Bem Aqui Assim

agosto 21, 2009

Filed under: Sem-categoria — alnneves @ 8:24 pm

portas

Hoje é dia do vizinho. Moro no prédio de quatorze andares e cinquenta e seis apartamentos. Imagina aí quantos vizinhos devo ter. Um bocado, né? Não conheço mais do que caiba nos dedos da mão, ainda assim, só de bom dia e boa noite no elevador. Esses, que cabem nos dedos da mão, são os simpáticos. Os outros falam uma língua que não entendo. Uma espécie de grunhido. Entram no elevador e dizem: hrng. Prefiro entender que significa oi ou bom dia, sei lá. Hoje é dia do vizinho e eu queria muito bater na porta de alguém e convidar pra assistir a novela das oito comendo um bolo feito na hora. Quer ser meu vizinho?

Anúncios
 

agosto 14, 2009

Filed under: Sem-categoria — alnneves @ 5:41 pm

culunistas

Sr. Marido sempre me deixa muito orgulhosa. Sábado passado foi divulgado o resultado do 34º Prêmio Colunistas Norte e Nordeste, e num é que ele levou prata na categoria rádio?!

A campanha premiada foi uma sequência de spots para uma clínica especializada em ouvido, nariz e garganta. A agencia é a S/A Propaganda, o texto é da Luri Almeida e a composição do jingle, a gravação, direção e mixagem são do André Melo [Jardim Elétrico Som].

Escuta aqui e diz se não é mesmo um arraso!

 

julho 28, 2009

Filed under: Sem-categoria — alnneves @ 7:08 pm

Hoje fiquei desesperada quando a moça da lavanderia disse que só poderia me entregar as roupas limpas daqui uma semana. Pensei logo em como é que vou trabalhar a semana inteira? Aí me deparo com a Sheena, uma moça está fazendo o The Uniform Project, onde ela que resolveu passar um ano inteirinho usando a mesma peça de roupa em favor da moda sustentável. E pra quem achar que é impossível ficar na moda usando a mesma peça por 365 dias seguidos, é só dar uma olhada no que ela faz misturando acessórios e criatividade. Vale até usar as costas pra frente. Mais tarde, quando chegar em casa, vou ver se consigo fazer uma mágica dessas no meu closet também.
vestido_03 vestido_04
vestido_07 vestido_06

 

julho 26, 2009

Filed under: Sem-categoria — alnneves @ 12:43 am

deu vontade. deu muita vontade.

 

julho 24, 2009

Filed under: Sem-categoria — alnneves @ 6:13 pm

Precisando morrer pra ver se nasço de novo curada das tristezas que ninguém vê.

 

Filed under: Sem-categoria — alnneves @ 12:49 pm

Hoje queria contar várias coisas ridículas sobre mim. Sonhos idiotas, pensamentos bobos, umas coisas que me fazem acordar rindo. Mas são tão bobas e tão minhas, que vão continuar assim, bobas e minhas. Só minhas. Porque eu posso rir de mim sempre. Eu. Acho que hoje vai ser um dia especial. Acordei rindo de um desses sonhos idiotas. Na verdade, nem lembro dos detalhes. Mas, quem se importa quando o importante é acordar rindo? Se isso não for realmente importante, pelo menos dá o barato de achar que o dia vai ser bom. Foi nesse barato que levantei da cama, antes que a preguiça de todas as manhãs me fizesse chegar, mais uma vez, atrasada ao trabalho. Abri a janela e descobri que estava nas nuvens! De verdade, literalmente, sem trocadinhos, não é força de expressão, metáfora, mentirinha, faz de conta. Inexplicavelmente, o inverno que as previsões do tempo dos jornais mostram todos os dias no restante do país nessa época do ano, bateu por aqui também. Há dias chove sem parar, faz um friozinho bom, incomum ao mês de julho em Teresina. E hoje o dia amanheceu assim, com nuvens baixas, entrando pela janela do quinto andar. Pela minha janela. Eu, admiradora das coisas do céu, acordei nas nuvens, rindo de um sonho bobo. Só posso acreditar mesmo que o dia vai ser bom.

 

julho 20, 2009

Filed under: Sem-categoria — alnneves @ 9:07 pm

friends

Hoje é dia do amigo. Hoje se comemora 40 anos que o homem chegou na Lua. Hoje eu descobri que o dia do amigo e o homem na Lua são uma coisa só. Não é legal? Foi assim: um argentino chamado Enrique Ernesto achou tão massa o homem chegar à lua que foi logo dizendo que era uma boa oportunidade para se fazer amizade em outras partes do universo. Veja só que maravilha pensar com mais encanto na possibilidade de se relacionar bem com o desconhecido do que nos avanços da ciência. Num mundo tão louco [e olha que aquele tempo não era muito mais tranqüilo que os dias de hoje] sentir-se empolgado com a chance de fazer novas amizades. Acho impressionante a capacidade que as pequenas coisas tem de mudar a vida da gente. Parece bobagem, né? Mas foi essa descoberta boba bem aí que mudou o meu dia. Vou ali abraçar uns amigos.